blog
Confira nossos últimos posts

Share

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest

Hospitalidade e Solidariedade no Turismo – Um retorno às origens

Você provavelmente deve achar que hospitalidade é o ato de receber bem ou que hospitalidade está relacionado a hospital. Não é incorreto, só superficial. 

Antes de eu entrar na faculdade, eu jurava de pé junto que eu seria gerente de hotel. No final de três meses, eu tive a certeza de que trabalhar em hotel estava fora de questão. Então, por que raios eu continuei fazendo curso de hotelaria? Porque rapidamente eu percebi que a formação em hotelaria me permitiria trabalhar em áreas diferentes e que meu verdadeiro interesse estava na hospitalidade. Entendi sua amplitude e, por fim, que toda empresa deveria ter um setor dedicado a isso…Quem sabe no futuro isso aconteça. 

Para facilitar o raciocínio, eu criei um infográfico para exemplificar o que é hospitalidade. Veja abaixo:

infográfico hospitalidade

Em outras palavras, hospitalidade acontece…

Quando viajamos, momentaneamente nos tornamos hóspedes e turistas, somos o Outro, o Estranho em terras desconhecidas. A forma como os turistas são tratados varia de acordo com a cultura local. Mas, partimos do princípio que seremos bem recebidos e acolhidos, afinal de contas estamos fora das nossas casas e distantes da nossa zona de conforto.

Pena que não funciona bem assim. Hospitalidade e hostilidade são como duas crianças brincando de esconde-esconde na rua.

Viajar pode tanto criar um vínculo social, como desfazê-lo. Existem lugares que eu já visitei que eu não volto nem para receber herança. Eu brinco dizendo que, a cada viagem, o indivíduo nasce de novo, porque não se tem a menor ideia do que o espera.

Dados atuais do mercado

O mercado de turismo foi um dos primeiros a ser afetado com o avanço do coronavírus pelo mundo. Um estudo realizado pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) estima que o setor já acumulou R$ 62,5 bilhões em perdas desde 11 de março. Já a OMT (Organização Mundial do Turismo) projeta uma queda de receita de até USD 1,2 trilhões em exportações do turismo e até 120 milhões de pessoas correm o risco de perder seus empregos.

Apesar deste cenário alarmante, aos poucos foram noticiadas diversas medidas solidárias adotadas por empresas do mercado de turismo. É um lembrete que se todo mundo trabalhar direitinho o ser humano pode ser melhor.

Atos de solidariedade no turismo

No Brasil e no mundo, hotéis independentes e de rede abriram suas portas para hospedar médicos, enfermeiros, pessoas do grupo de risco, moradores de rua, moradores de favelas, idosos e mulheres vítimas de violência. Como a taxa de ocupação da grande maioria dos hotéis e pousadas está em 0% ou algo próximo disso, não faz sentido manter a estrutura ociosa se há a necessidade urgente de abrigar pessoas.

Por aqui, também foi criada a campanha Quartos da Quarentena, uma medida que visa mobilizar a sociedade civil para pressionar seus políticos a buscarem alternativas de acomodação para quem precisa neste momento. E há casos de hotéis que cederam seus complexos de eventos para receber leitos hospitalares.

O Airbnb criou o Airbnb para Médicos e Enfermeiros. Uma parceria com organizações internacionais de saúde, cuja a meta é oferecer acomodação gratuita para mais de 100 mil profissionais que estão na linha de combate. Em Portugal, foi lançada a iniciativa Rooms Against Covid que busca formas alternativas de acomodação para profissionais da saúde com o auxílio de voluntários. A #hospitalityhelps foi criada para conectar agências do governo, serviços de saúde e proprietários de meios de hospedagem para o fornecimento de camas durante a pandemia. Ao todo, já foram disponibilizados mais de 1,2 milhões de camas no mundo todo.

A forma como essas iniciativas tem ocorrido varia de acordo com a cidade ou país. De maneira geral, os estabelecimentos recebem uma ajuda de custo para atender essas pessoas num regime de pensão completa (café da manhã, almoço e jantar). Neste sentido, os municípios oferecem abrigo seguro para quem precisa e ainda contribuem com a sobrevivência de meios de hospedagem neste momento de crise. Mas, vale ressaltar que também há casos de iniciativas voluntárias.

Cada um faz o que está ao seu alcance

Ainda na hotelaria, a rede Accor criou um fundo chamado ALL Heartist Fund disponibilizando 70 milhões de Euros para amparar financeiramente colaboradores que não possuem seguro social ou médico e/ou que estejam em licença e/ou com dificuldades financeiras. Além disso o fundo financiará iniciativas e ONGs que dão suporte aos profissionais de saúde que estão na linha de frente do combate ao vírus.

Já na aviação, cuja demanda chegou a cair 95% em território nacional, as companhias aéreas Gol, Latam e Azul estão transportando gratuitamente profissionais de saúde que estão atuando na linha de frente. Nestes casos, paga-se apenas a taxa de embarque. Se quiser lubrificar os olhos, assista esse vídeo em que o piloto da Gol homenageia médicos e enfermeiros que foram para Manaus.

Na área de alimentos e bebidas não foi diferente. Nos EUA, foi criada a iniciativa Chef for America , cuja proposta é conectar pessoas que precisam se alimentar diariamente a profissionais de restaurantes que precisam continuar trabalhando. Esta ação está presente em dezenas de cidades americanas e 250 mil refeições são oferecidas todos os dias. Aqui no Brasil, as ações são pontuais e individualizadas. Alguns chefs criaram financiamento coletivo para distribuir marmitas em comunidades carentes e outros se organizaram localmente com parceiros para abastecer hospitais com marmitas.

São incontáveis os casos, todos com um ponto em comum: a solidariedade. É o mercado de turismo exercendo sua função social.

Em resumo

A sociedade pós-moderna não valoriza mais o bem comum, pelo contrário, promove a exclusão do outro. Essa ausência da prática de *alteridade acarreta perda da habilidade básica das pessoas de interagir, acentuando o individualismo da sociedade.

*A interação e ou dependência de um ser humano com o outro é denominada alteridade. Ela pressupõe que o “eu” só pode existir por meio de um contato com o “outro”, ocorrendo valorização das diferenças existentes. A ausência de alteridade acarreta perda da habilidade básica das pessoas de interagir, acentuando o individualismo da sociedade.

A globalização impactou negativamente as relações entre as pessoas, agravando a hostilidade, principalmente em razão do aumento do fluxo migratório. Bauman explica que em um mundo sem fronteiras, as relações tradicionais de hóspede/anfitrião não se adéquam bem, visto que nas cidades contemporâneas vive-se entre estrangeiros e estranhos a todo momento.

Por outro lado, a crise da COVID-19 está nos forçando a olhar para o lado e enxergar o Outro. Estamos passando pelo maior teste de coletividade do últimos tempos e, felizmente, presenciando um momento único de tantos atos de solidariedade no mundo. Olhando especificamente para o mercado de turismo, resta saber se as ações implementadas neste momento serão aperfeiçoadas e perpetuadas. Afinal de contas, por que não?

Compartilhe isso:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on pinterest
perfil viaje com alice

Olá, eu
sou a alice

Olá! Meu nome é Alice Assad Wassall, eu sou consultora de sustentabilidade no turismo. Estou aqui para ajudar você a identificar o propósito da sua empresa e a adaptá-la a todas as tendências da sustentabilidade. 

blog

perfil viaje com alice

Un blog sobre la sostenibilidad en el turismo

Se você quer ler em português, clique aquiIf you want to read in english, clique hereLa sostenibilidad y los negocios de impacto positivo son temas que, de alguna manera, siempre han estado presentes en mi vida. Esta es una de las razones por las que hoy en día la sostenibilidad

Leia mais »

DÚVIDAS, ELOGIOS, ALGUM COMENTÁRIO? ENVIE UMA MENSAGEM.

É muito bom ter você por aqui, caso tenha algo a dizer, seja para elogiar ou criticar, não hesite em me enviar uma mensagem, terei o maior prazer em respondê-lo o mais breve possível. Muito obrigada!

Conteúdos sustentabilidade, turismo, cidade criativa e hospitalidade. Aproveite! 

cadastre-se agora para acessar os materiais.

cadastre-se e acesse agora.

receba um conteúdo exclusivo sobre a área do turismo.

cadastre-se e receba.